Igreja Universal – Cabo Verde

LOGO

Como é que você se vê?

Fonte de Imagem: noticiasaominuto.com

 
 

Estamos habituados a utilizar os nossos olhos para observar e avaliar tudo aquilo que nos rodeia… mas, e se o alvo do seu escrutínio for você mesmo?

 
 
 
 
 
 
 

Negativo, positivo ou inexistente… esta é a opinião que o ser humano tem, habitualmente, sobre si mesmo. Enquanto uns têm-se em tão alta estima que chegam a adotar uma postura narcisista, outros há que se detestam ao ponto de odiarem até de ver o seu próprio reflexo no espelho.

Mas, por que motivo é tão difícil assim sermos objetivos em relação a nós mesmos? Porque, a nossa perceção de nós mesmos, muitas vezes acaba por ser influenciada pela opinião que os outros têm de nós e o que a própria sociedade tenta ditar como o ideal.

 
 
 
 
 
 
 

Doença mental

A dismorfia corporal é uma doença ‘física’ que os outros não veem, mas que se relaciona com a forma como cada um se auto-perceciona, segundo noticiou a plataforma digital Notícias ao Minuto.

Passar demasiado tempo a preocupar-se com o seu corpo, derivado à forma como acreditam que os outros percecionam, assim se resume a dismorfia corporal. E quem sofre desta condição, é claro, é bastante crítico e negativo acerca de si mesmo.

 
 
 
 
 
 
 

Défice de autoconfiança

A falta de confiança relativamente ao aspecto físico é algo comum hoje em dia, principalmente entre os mais jovens que se deixam influenciar pelas imagens perfeitas que dominam as redes sociais. Contudo, nos casos mais graves, os indivíduos acreditam que certas partes do corpo são bastante desproporcionais em relação ao restante. Tudo isto leva a situações de ansiedade e baixa autoestima.

 
 
 
 
 
 
 

Você gosta de si mesmo?

Segundo o bispo Renato Cardoso, a resposta sincera a esta pergunta poderá revelar as razões por detrás de muitos dos seus comportamentos nos diferentes aspetos da sua vida. “O problema é que quando você não gosta de si mesmo, torna-se uma pessoa insuportável: carente, insegura, excessivamente autocrítica, possessiva, que exibe comportamentos autodestrutivos, instabilidade emocional, isolamento, dificuldade de manter amizades…”. O bispo ainda acrescenta que é difícil amar quem não se ama. “Se você não se gosta, nunca terá uma vida amorosa feliz, por isso, precisa de resolver esse problema, começando por se reconciliar consigo mesmo. Pare de errar. Pare de se desgostar. Resolva o seu relacionamento consigo mesmo. Afinal, já que você nunca irá conseguir se separar de si mesmo, é melhor aprender a conviver juntos…”, conclui.

 
 
 
 
 

Descubra a Universal mais perto de sua casa.

Fonte: noticiasaominuto.com

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*